Pense Jornal - Sua fonte de notícias na cidade de Jaraguá do Sul

Segunda-feira, 15 de Julho de 2024

Notícias/Nacional

Mendonça rebate fala de Gilmar sobre “narcomilícia evangélica”

Decano do STF usou o termo durante entrevista à “GloboNews”.

Mendonça rebate fala de Gilmar sobre “narcomilícia evangélica”
Foto reprodução
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O ministro André Mendonça, do STF (Supremo Tribunal Federal), divulgou nota rebatendo uma declaração do ministro Gilmar Mendes a respeito da existência de uma “narcomilícia evangélica” que atua no Rio de Janeiro. O comunicado foi divulgado na 4ª feira (13.mar.2024).

Em seu perfil no X (ex-Twitter), Mendonça, que é evangélico, diz ter conversado com o decano (mais antigo) da Corte sobre a declaração. Afirmou que Gilmar ressaltou seu respeito pela comunidade evangélica e que não teve a intenção em constranger seus integrantes em sua declaração. O ministro também disse estar disposto a conversar e esclarecer o assunto com líderes da igreja.

Leia o comunicado na íntegra:

Publicidade

Leia Também:



Durante entrevista à GloboNews na 3ª feira (12.mar.2024), Gilmar disse que, em uma reunião recente na Corte, foi relatado aos ministros a existência de um suposto acordo entre traficantes e milicianos ligados a uma igreja evangélica no Rio. 

“O ministro Luís Roberto Barroso presidiu uma reunião extremamente técnica sobre essa questão, e um dos oradores falou de algo que é raro ouvir: uma ‘narcomilícia’ evangélica, aparentemente no Rio de Janeiro, onde se tem um acordo entre narcotraficantes e milicianos pertencentes ou integrados a uma rede evangélica”, disse o decano.

Segundo Mendonça, se o orador mencionado pelo colega da Corte usou o termo “narcomilícia evangélica”, trata-se de fala “grave, discriminatória e preconceituosa”.

“Posso afirmar, com muita segurança, que se há uma rede evangélica nesse país, ela é composta por mais de 1/3 da população, a qual se dedica sistematicamente a prevenir a entrada ou retirar pessoas do mundo do crime, em especial aqueles relacionados ao tráfico e uso de drogas, que tanto sofrimento causam às famílias brasileiras”, disse o ministro.

Além disso, Mendonça afirmou que os integrantes da igreja evangélica são os mais interessados na apuração dos fatos citados pelo decano.

 

FONTE/CRÉDITOS: Redação
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!