Pense Jornal - Sua fonte de notícias na cidade de Jaraguá do Sul

Terça-feira, 23 de Julho de 2024

Colunas/Geral

A GRANDE IMPRENSA SE VOLTA CONTRA A CENSURA

O cenário eleitoral para 2024

A GRANDE IMPRENSA SE VOLTA CONTRA A CENSURA
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

QUEM TEM – TEM MEDO

Lideranças do Congresso relatam tentativa do governo de “retardar” o início efetivo da CPMI do 8 de janeiro, impulsionada após imagens revelarem o ministro do GSI de Lula negligenciando a defesa do Planalto no dia da quebradeira. O palácio procurou os presidentes da Câmara e do Senado para tentar atrasar as indicações de quem vai compor a comissão e até tenta um acordo para as sessões começarem após a votação da regra fiscal. Mas o acordão é rechaçado entre opositores.

Nas contas governistas, a CPMI “pode” começar entre a última semana de maio e a primeira semana de junho, com a regra fiscal já aprovada.

Leia Também:

O deputado Rodrigo Valadares (União-SE) disse que o governo tenta transformar a CPMI em “circo”, como foi com a CPI do Covid.

Para Valares, não dá para condicionar o início da CPMI à aprovação de “uma mera tradução do Inflation Reduction Act do Joe Biden”, que é o tal arcabouço fiscal de Fernando Haddad, copiado dos Estados Unidos

Há um grande temor governista.

“Não tem a mínima condição, a oposição não abre mão”, diz o senador Izalci (PSDB-DF) ao lembrar que Lula “sempre quis a postergação”.

TIRANDO O JEGUE DA CHUVA

As gigantes Google (Youtube etc.) e Meta (Facebook, Instagram e Whatsapp) não têm a menor intenção de remunerar a imprensa brasileira pelas notícias que reproduzem. Como em outros países, caso prevaleça o Projeto da Censura do Brasil, devem abolir as notícias, como já vem sendo alertado.

A inglesa BBC informa que o Google repetirá no Brasil a atitude no Canadá, banindo notícias das buscas. Talvez seja a intenção do governo brasileiro: impedir que denúncias cabeludas se espalhem.

Gigantes de tecnologia enfrentaram na Austrália e Canadá, nos últimos anos, surtos autoritários semelhantes ao Projeto da Censura brasileiro.

Na Austrália, as notícias foram abolidas das redes sociais e a esperada “remuneração” ninguém sabe, ninguém viu. O governo teve de recuar.

Ajustando-se à lei australiana, Facebook, Instagram e Whatsapp baniram links de notícias, reduzindo seu alcance. E a decisão acabou revertida.

Aqui no Brasil, parte da imprensa que apoia o projeto de censura, estava com esperança de ser remunerada por produzir notícias.

Alguns já entenderam que isso não acontecerá e estão tirando o jegue da chuva.

JÁ DESISTI

Desde 2020 venho banindo (bloqueando) petistas nas minhas redes sociais.

Trata-se de convivência nefasta, aves de mau agouro e que contaminam todo e qualquer ambiente.

Incapazes de aceitar o desastre que estamos vivendo em termos de Brasil, os acéfalos partem para agressões verbais e tentam intimidar marcando nomes de autoridades, presidente do PT e etc.

Respondo pelos meus atos e sempre procurei ser justo: verdadeiro, pontual, corte rápido (que não é Tramontina), mas sem ofensas.

Conviver com pessoas que ofendem à família para defender um projeto de governo que se mostra falido, jamais fará bem para qualquer um.

As ofensas são proferidas em redes sociais e a grande maioria se utilizam de perfis falsos.

Cara a cara, certamente, a coragem se esvai, sem falar no risco de um sopapo bem dado e merecido.

NA POLÍTICA

É tida como certa (as tais favas contadas) a ida do ex-deputado Kennedy Nunes para o PL, deixando a presidência do PTB no Estado.

Kennedy aceitou o convite do Governador Jorginho Melo e assumiu o Detran de Santa Catarina.

Jorginho está pensando logo mais adiante, afinal de contas, o mandato de 4 anos passa muito rápido e quando se dá conta, acabou.

O governador, também está de olho nas eleições de 2024 e quer fortalecer o seu partido, o que vem na mesma linha de raciocínio do ex-presidente Jair Bolsonaro.

Precisará trabalhar muito e buscar novos nomes para a política, o que não será fácil.

DE OLHO EM JARAGUÁ DO SUL

Municípios importantes estão sob vigilância do Governador e é o caso de Jaraguá do Sul.

No entanto, a sigla pelas bandas de cá anda mal das pernas.

Possui em suas fileiras um ex-preso que faz pose de “salvador da Pátria” e um empresário com total ausência de empatia, apelo político.

O ex-presidiário vive sob o domínio da desgraça e não sobrevive sem procurar desmerecer qualquer coisa. O objetivo dos ataques é usar como tijolo para palanque.

O empresário (com todo respeito que merece como empreendedor e gerador de emprego e renda), carrega uma empáfia difícil de engolir.

A política não é isso e pessoas assim não servem.

FONTE/CRÉDITOS: Redação
Comentários:
Sérgio Peron

Publicado por:

Sérgio Peron

Lorem Ipsum is simply dummy text of the printing and typesetting industry. Lorem Ipsum has been the industry's standard dummy text ever since the 1500s, when an unknown printer took a galley of type and scrambled it to make a type specimen book.

Saiba Mais

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!